Etiqueta: efeitos secundários da quimioterapia

Os 10 piores EMBUSTES na Saúde e que foram promovidos como “ciência” nos últimos 100 anos

Os 10 piores EMBUSTES na Saúde e que foram promovidos como “ciência” nos últimos 100 anos

fraude na saúde

Quando uma tendência se torna viral, milhões de pessoas “juntam-se à caravana” sem pensarem duas vezes. No entanto, posteriormente descobre-se que a maioria dessas tendências massivamente populares não são tendências, mas sim esquemas em pirâmide na saúde, promovidos por propaganda e que levam milhões de pessoas (que agem como ovelhas ignorantes) ao seu próprio penhasco da Saúde. Muito antes da internet e mesmo antes da televisão, os demónios da ciência (humanos doentios que vestem batas brancas de laboratório) estavam a cogitar formas de envenenar lentamente a população com alimentos e medicamentos químicos, e eles precisavam de especialistas em marketing para enganarem o público, com uma imagem e slogans apelativos que pudessem ser aproveitados pelos meios de comunicação impressos.

Tudo o que parece ser bem pesquisado e é transmitido e anunciado através de milhares de canais de comunicação, eventualmente, e não importa o quanto a mentira é doente e dementia, depois de marketing e publicidade suficientes, as massas compram. A isso chama-se dissonância cognitiva – algo provoca o seu cérebro apenas o suficiente para suscitar o seu interesse, sendo que depois acaba por pesquisar um pouco, repara que “os outros estão a fazer isso”, e depois salta para a caravana do que está na moda. Da má ciência dos alimentos à péssima ciência da medicina, tudo se resume a más escolhas e a uma má saúde, e não existem maiores máquinas de fazer dinheiro do que aquelas administradas pelas grandes corporações do sector alimentar e as grandes farmacêuticas. Vamos então aprofundar isto, retrocedendo até ao princípio do século passado, quando o enredo do mal tinha começado na terra dos alimentos tóxicos processados e dos tratamentos crónicos de doenças.

Atente aos 10 piores embustes na Saúde promovidos como “ciência” nos últimos 100 anos

Mentira # 1

Se um estudo de saúde é “revisto por pares”, então é baseado em evidências, fiável e verdadeiro.

Sabia que 90% da informação médica publicada, na qual os médicos confiam, é completamente errada? É verdade. Muitos “estudos” científicos e pesquisas têm resultados predeterminados e que são primeiramente condicionados pelas empresas e corporações que beneficiarão da venda do produto e, após disso, os testes são “executados” por cientistas que ajustam, distorcem ou mesmo descartam aquilo que não se enquadra na conclusão do guião providenciado inicialmente. Posteriormente, o dinheiro passa de mão em mão e as descobertas são publicadas em revistas para os curiosos como a JAMA (Journal of the American Medical Association). Isso já acontece desde há um século.

Mentira # 2

Se um aditivo alimentar, medicamento de prescrição ou imunização for aprovado pelos agentes reguladores, isso quer dizer que os cientistas o testaram completamente no que diz respeito à sua “segurança e eficácia” e deve consumi-lo sem questionar.

Os agentes reguladores são fachadas para as empresas que buscam o lucro nas despesas de saúde da população. Nunca confie em nada aprovado por essas agências “reguladoras” que se movem por interesses próprios e que estão no negócio dos tratamentos crónicos a doentes e sempre estiveram, desde a sua criação. Peça ao seu médico naturopata conselhos sobre alimentos e medicamentos que são “aprovados” pelas agências reguladoras.

Mentira # 3

Os cigarros são bons para a digestão e recomendados por mais de 20 mil médicos.

Sim, eles fizeram isso. Os médicos anunciavam as suas marcas favoritas e mentiram durante décadas mesmo após a ciência ter provado que o fumo do cigarro causava cancro do pulmão.

Mentira # 4

A vacina contra a poliomielite é uma invenção milagrosa que erradicou a pandemia de poliomielite que assolava o mundo.

O infame Dr. Salk não inventou uma vacina que impediu a pólio, mas sim misturou várias estirpes de poliomielite e ajudou a propagar a doença ao redor do mundo. O embuste funcionou porque as estatísticas foram distorcidas para mostrarem que quaisquer casos de poliomielite que não debilitavam as vítimas eram classificados como meningite e, portanto, “provar” que a vacina quase eliminou a poliomielite em todo o mundo! E foi assim que milhões de pessoas foram alvo de uma lavagem cerebral para serem levadas a acreditar que as vacinas de hoje são “seguras e eficazes”.

Mentira # 5.

Os edulcorantes artificiais não contêm calorias, pelo que então ajudam-no a perder peso.

Os açúcares falsos são centenas de vezes mais doces do que a sacarose, enganando o seu corpo ao ingeri-los e fazendo-o desejar ainda mais açúcar. Diga adeus ao autocontrolo.

Mentira # 6.

Qualquer colesterol “alto” é um colesterol mau e por isso deve pedir ao seu médico um medicamento para o baixar.

Errado! Por outro lado, de acordo com um artigo altamente informativo publicado na Metabolic Healing, “Os esforços para reduzir a produção de colesterol e as lipoproteínas adjacentes do corpo, seja por meio de intervenção médica ou por meio de intervenção nutricional, podem ter repercussões muito graves para a saúde”.

Mentira # 7

Todas as gorduras saturadas são insalubres e causam doenças cardiovasculares.

A conspiração contra as gorduras saturadas já foi completamente desmascarada.

Mentira # 8

Leite – faz bem ao corpo.

Os produtos lácteos mais processados ​​(homogeneizados / pasteurizados) causam inflamações e produção excessiva de muco. Pesquise sobre isso.

Mentira # 9

Os OGM (Organismos Geneticamente Modificados) são resistentes à seca, seguros para consumo humano, aumentam o rendimento dos agricultores e são totalmente sustentáveis.

OGM significa que pesticidas tóxicos foram infundidos nos genes das culturas, e muitos agricultores que cultivam OGMs estão a descobrir que precisam de usar muito mais pesticidas para controlarem os insetos e ervas daninhas agora.

Mentira # 10

A quimioterapia é a sua melhor hipótese, e pode ser a sua única hipótese, de sobreviver ao cancro.

A quimioterapia tem uma miserável taxa de sucesso média de 2,3%. A quimioterapia destrói o seu sistema imunológico – a única coisa que o ajuda a sobreviver ao cancro. Vá-se lá perceber.

Pergunte ao seu médico naturopata se as fraudes na saúde são adequadas para si

Conclusão

Quando ouve um slogan de saúde na televisão, impresso no jornal ou veiculado por algum político que continua a insistir nisso incessantemente, pode ter 99,9% de certeza de que é um embuste de saúde projectado e propagandeado para roubar o seu dinheiro e a sua paz de espírito. Os efeitos secundários dos engodos na saúde incluem o cancro, a doença de Alzheimer e a perda de competências de pensamento crítico. Pergunte ao seu médico naturopático se os embustes mais conhecidos na saúde são bons para si. Para ler ciência a sério com resultados credíveis publicados, confira o site Science.NaturalNews.com, onde a verdade reina.

As fontes deste artigo incluem:

AHRP.org

TruthWiki.org

CDC.news

Tobacco.Stanford.Edu

TruthWiki.org

Science.NaturalNews.com

MetabolicHealing.com

NaturalNews.com

RealFarmacy.com

Fonte: http://www.naturalnews.com/2017-07-02-the-10-worst-health-hoaxes-pushed-as-science-over-the-last-100-years.html

Seis fármacos que pioram a sua Saúde instantaneamente

Seis fármacos que pioram a sua Saúde instantaneamente

medicamentos e saúde

Consegue imaginar quantos americanos tomam medicamentos prescritos? Pensa que são 1 em cada 20 ou talvez 1 em cada 10? Ou provavelmente acha que são 1 em cada 5 americanos? Se acredita que a resposta correcta é alguma das anteriores, está errado. Um novo relatório publicado pelo CDC [Centro para o Controlo de Doenças dos EUA] evidencia que quase metade de todos os americanos toma medicamentos químicos para as suas doenças. Isso significa que mais de 150 milhões de americanos usam fármacos químicos experimentais, não testados, que nadam na sua corrente sanguínea neste momento, potenciando o caos na saúde que advém principalmente dos produtos químicos que consomem.

O que é ainda mais chocante é que a estatística revelou um aumento de quase dez por cento desde o início da década de 1990. Qual a razão de tal pico em pouco mais de duas décadas? Bem, foi quando os fármacos começaram a ser publicitados directamente ao consumidor através dos nossos aparelhos de televisão. Antes disso, era ilegal na América as empresas farmacêuticas publicitarem, nos canais de televisão, os seus venenos como se fazia com os alimentos.

Se é um daqueles que se deixou hipnotizar pela publicidade enganosa, devia “perguntar ao seu médico se…” – um produto químico inventado num laboratório com o propósito de encobrir os seus sintomas resultantes de um estilo de vida pouco saudável – “é bom para si”. Devia saber que não só os medicamentos químicos raramente vão curar os seus males, bem como a maioria deles piora a sua saúde instantaneamente.

A maioria das pessoas ignora de que os medicamentos prescritos são realmente maus para a sua saúde a curto e a longo prazo. As pessoas tendem a ignorar a lista de efeitos colaterais horríveis – mesmo que eles normalmente até estejam descritos na bula dos medicamentos e das vacinas, ou até mencionados nos próprios anúncios da televisão – porque eles estão mais interessados ​​no alívio imediato do que naquilo que lhes dá saúde.

Aqui estão seis dos medicamentos e procedimentos médicos mais populares e que realmente pioram tudo numa questão de dias, às vezes apenas numa questão de horas, após os tomar:

# 1. Vacina contra a gripe (vacina contra influenza)

A maioria das vacinas contra a gripe contêm quantidades chocantes de mercúrio (listado como timerosal), alumínio e formaldeído. O mercúrio, seja em que quantidade for, é altamente tóxico para os seres humanos. Injectar mercúrio no tecido muscular envia ondas de choque através do corpo e provoca uma resposta de híper-imunidade imediata e perigosa por parte do sistema nervoso central. Isso não é natural. A toxicidade do mercúrio pode causar problemas de saúde orais, desequilíbrios digestivos, problemas respiratórios, perda de memória, depressão, ADD e doenças cardiovasculares. Muitas vacinas contra a gripe causam pneumonias, infecções no ouvido e bronquiolites no espaço de poucos dias após a vacinação, pois a imunidade é diminuída por todos os carcinogéneos na injecção.

# 2. Anticoagulantes

Embora os anticoagulantes sejam frequentemente anunciados como “medicamentos que salvam vidas”, a nova geração de “anticoagulantes” também acrescenta a fatalidade aos efeitos colaterais, que não tem possibilidade de reversão. Qualquer corte simples, incluindo uma lesão interna menor, pode ser fatal porque será quase impossível parar o sangramento. Bateu apenas com a cabeça num armário ou ao entrar no carro? Pode morrer numa questão de poucas horas. Pisou um pedaço de vidro ou uma tampa de uma garrafa enquanto caminhava com os pés descalços? Perigo – pode sangrar até morrer. Para além disso, os anticoagulantes esgotam os nutrientes essenciais do corpo, diariamente. Os médicos não têm permissão para prescrever ou até mesmo para falar do resveratrol, que é um remédio natural para os coágulos sanguíneos. Pergunte ao seu médico naturopata sobre remédios naturais.

# 3. Quimioterapia

A quimioterapia deveria ser ilegal. A maioria não faz a menor ideia de que a quimioterapia apenas tem uma taxa de sucesso de 2,3 por cento e que, em média, não consegue vencer o cancro 97,7% das vezes. Para além disso, 75 por cento dos médicos e oncologistas nunca utilizariam a própria quimioterapia ou a recomendariam aos familiares com cancro. O que é que isso lhe diz? A quimioterapia imediatamente torna o sangue ácido, convidando à formação e multiplicação fora de controlo de mais células cancerígenas, mesmo que mate as existentes. A quimioterapia destrói as bactérias intestinais benéficas e degrada a imunidade humana, retirando a competência natural da pessoa de combater o cancro. A quimioterapia para o cancro é como despejar um balde cheio de pesticidas tóxicos numa piscina enquanto nada, apenas para matar alguns insetos que estão na água.

# 4. Vacina contra o rotavírus

Não há nenhuma forma de medicamento mais perigoso do que injetar combinações de vírus mortais conhecidos juntamente com bactérias geneticamente modificadas no tecido muscular humano. A vacina Rotateq, desenvolvida pelo insidioso Dr. Paul Off, contém duas cepas de um vírus mortal de porco chamado circovírus, e não há nenhuma explicação sobre o motivo pelo qual este vírus mortal, que mata milhares de porcos na China, é agora um ingrediente numa vacina para tratar a diarreia infantil. Se você não acredita que isso seja verdade, verifique o folheto informativo da vacina da Merk por si mesmo.

# 5. Benzodiazepínicos (medicamentos para a ansiedade)

Os “Benzos” são altamente perigosos e com efeitos imediatos, pois retardam o sistema nervoso central, dando-lhe a falsa impressão de que está relaxado tanto física quanto mentalmente. Isso promove directamente efeitos colaterais indesejados e, quanto maior a dose, mais intensos serão esses efeitos colaterais. Todos os benzodiazepínicos também são fisicamente viciantes. Os benzodiazepínicos mais populares incluem o Xanax, Klonopin, Valium e Ativan. Eles são a medicação mais amplamente prescrita para a ansiedade. Os efeitos colaterais imediatos incluem o aumento da ansiedade (a sério?), irritabilidade, agitação, agressão, raiva, mania, comportamento impulsivo, depressão agravada (de acordo com a FDA [Agência Reguladora dos Fármacos nos EUA]), alucinações e, claro, aumento dos pensamentos suicidas. Combinar benzo’s com antidepressivos ISRS (como o Prozac e o Zoloft) pode aumentar a toxicidade do benzo.

# 6. Medicamentos para as convulsões

Toda esta classe de fármacos para as convulsões pode causar danos no fígado muito rapidamente. Às vezes, os danos no fígado não aparecerão até semanas ou meses depois, mas isso não significa que os danos não tenham sido causados imediatamente. De que serve parar as convulsões se a medicação prejudica seu fígado? É possível viver sem o seu fígado? Não é compreensível! Pergunte a um médico naturopata sobre como o óleo de CBD [à base de cannabis] é conhecido por parar as convulsões epiléticas em cerca de 50% dos casos.

Referências:

BeWellBuzz.com

Rejuvination-Science.com

Scribd.com

RealFarmacy.com

CancerFightingStrategies.com

NaturalNewsReference.com

EDrugSearch.com

HelpGuide.org

NaturalNews.com

Books.Google.com

CDC.news

Fonte: http://www.naturalnews.com/2017-07-18-six-pharmaceutical-medicines-that-instantly-make-your-health-worse.html