Etiqueta: cancro da mama

Vírus do sarampo extingue tumor cancerígeno do tamanho duma bola de golfe em 36 horas

Vírus do sarampo extingue tumor cancerígeno do tamanho duma bola de golfe em 36 horas

O vírus do sarampo extingue tumor cancerígeno do tamanho duma bola de golfe em 36 horas

O sarampo pode ser uma “cura única para o cancro”, afirma um médico da Clínica Mayo

Os ensaios clínicos em andamento na Clínica Mayo estão a revelar um improvável aliado na luta contra o cancro… o vírus do sarampo.

Os cientistas há muito que sabem que ficar doente com o sarampo às vezes pode provocar uma redução espontânea no tamanho dos tumores, mas os recentes testes clínicos na Clínica Mayo demonstraram o potencial que o vírus tem para ser uma arma poderosa.

Num estudo de 2014, uma dose concentrada de sarampo colocou um paciente com cancro, em estágio avançado, em remissão a longo prazo.

A mulher em estado terminal havia sido tratada com todo o tipo de quimioterapias disponíveis e dois transplantes de células-tronco, apenas para reincidir sucessivamente.

Ela tinha um caso avançado de mieloma múltiplo, um cancro mortal do sangue difundido por todo o seu corpo e medula óssea, quando os investigadores propuseram-lhe um último recurso – uma dose enorme do sarampo.

Em cinco minutos, ela teve uma dor de cabeça e febre de 40.5º, seguida por vómitos e tremores.

No espaço de 36 horas, um tumor do tamanho de uma bola de golfe na sua testa tinha desaparecido, e duas semanas depois não havia nenhum cancro detectável no seu corpo.

“Foi o tratamento mais fácil que eu já fiz até agora”, afirmou à CNN.

A cepa do vírus foi projetacda e enfraquecida em laboratório, e depois de administrada numa dose forte o suficiente para vacinar 10 milhões de pessoas.

Tratar cancros com vírus não é novidade. Os cientistas da Clínica Mayo afirmam que a “viroterapia” tem sido usada com sucesso em milhares de pacientes com cancros, mas este é o primeiro caso de um paciente com cancro propagado por todo o corpo e entrar em remissão.

“Acho que tivemos sucesso porque aumentamos a dose mais do que nos outros”, afirmou o principal autor do estudo, o Dr. Stephen Russell.

“E eu acho que isso é crítico. A quantidade de vírus que está na corrente sanguínea é realmente o factor que determina o quanto penetra nos tumores.”

O vírus do sarampo faz as células cancerígenas unirem-se e explodirem, explica a pesquisadora da Clínica Mayo, a Dra. Angela Dispenzieri. Existem também evidências de que o vírus estimula o sistema imunológico, ajudando-o a reconhecer quaisquer células cancerígenas recorrentes e a “limpá-las”.

Ensaios clínicos subsequentes mostraram resultados similares com cancro do ovário, da mama e linfoma não-Hodgkin, de acordo com um estudo de 2016 intitulado “salvo pelo sarampo”. Os testes, actualmente, estão a avaliar o efeito do sarampo no glioblastoma multiforme, mesotelioma e carcinoma de células escamosas.

“Recentemente, começamos a pensar sobre a ideia de uma cura única para o cancro – e esse é o nosso objectivo com esta terapia”, afirmou Russell.

 

Comentário do autor: Fascinante. Na entrevista com a Dra. Stephanie Seneff, discutiu-se a ideia de que aquilo que pensamos serem bactérias e vírus patogénicos pode realmente servir como uma função útil para o organismo. Nós claramente temos uma compreensão bastante simplista de qual o efeito que os vírus e bactérias realmente têm sobre o organismo, tanto que, uma descoberta como esta, parece completamente desconcertante.

Fonte:https://www.sott.net/article/406958-Measles-virus-wipes-out-golf-ball-sized-cancer-tumor-in-36-hours