Seis fármacos que pioram a sua Saúde instantaneamente

 Em Educação

medicamentos e saúde

Consegue imaginar quantos americanos tomam medicamentos prescritos? Pensa que são 1 em cada 20 ou talvez 1 em cada 10? Ou provavelmente acha que são 1 em cada 5 americanos? Se acredita que a resposta correcta é alguma das anteriores, está errado. Um novo relatório publicado pelo CDC [Centro para o Controlo de Doenças dos EUA] evidencia que quase metade de todos os americanos toma medicamentos químicos para as suas doenças. Isso significa que mais de 150 milhões de americanos usam fármacos químicos experimentais, não testados, que nadam na sua corrente sanguínea neste momento, potenciando o caos na saúde que advém principalmente dos produtos químicos que consomem.

O que é ainda mais chocante é que a estatística revelou um aumento de quase dez por cento desde o início da década de 1990. Qual a razão de tal pico em pouco mais de duas décadas? Bem, foi quando os fármacos começaram a ser publicitados directamente ao consumidor através dos nossos aparelhos de televisão. Antes disso, era ilegal na América as empresas farmacêuticas publicitarem, nos canais de televisão, os seus venenos como se fazia com os alimentos.

Se é um daqueles que se deixou hipnotizar pela publicidade enganosa, devia “perguntar ao seu médico se…” – um produto químico inventado num laboratório com o propósito de encobrir os seus sintomas resultantes de um estilo de vida pouco saudável – “é bom para si”. Devia saber que não só os medicamentos químicos raramente vão curar os seus males, bem como a maioria deles piora a sua saúde instantaneamente.

A maioria das pessoas ignora de que os medicamentos prescritos são realmente maus para a sua saúde a curto e a longo prazo. As pessoas tendem a ignorar a lista de efeitos colaterais horríveis – mesmo que eles normalmente até estejam descritos na bula dos medicamentos e das vacinas, ou até mencionados nos próprios anúncios da televisão – porque eles estão mais interessados ​​no alívio imediato do que naquilo que lhes dá saúde.

Aqui estão seis dos medicamentos e procedimentos médicos mais populares e que realmente pioram tudo numa questão de dias, às vezes apenas numa questão de horas, após os tomar:

# 1. Vacina contra a gripe (vacina contra influenza)

A maioria das vacinas contra a gripe contêm quantidades chocantes de mercúrio (listado como timerosal), alumínio e formaldeído. O mercúrio, seja em que quantidade for, é altamente tóxico para os seres humanos. Injectar mercúrio no tecido muscular envia ondas de choque através do corpo e provoca uma resposta de híper-imunidade imediata e perigosa por parte do sistema nervoso central. Isso não é natural. A toxicidade do mercúrio pode causar problemas de saúde orais, desequilíbrios digestivos, problemas respiratórios, perda de memória, depressão, ADD e doenças cardiovasculares. Muitas vacinas contra a gripe causam pneumonias, infecções no ouvido e bronquiolites no espaço de poucos dias após a vacinação, pois a imunidade é diminuída por todos os carcinogéneos na injecção.

# 2. Anticoagulantes

Embora os anticoagulantes sejam frequentemente anunciados como “medicamentos que salvam vidas”, a nova geração de “anticoagulantes” também acrescenta a fatalidade aos efeitos colaterais, que não tem possibilidade de reversão. Qualquer corte simples, incluindo uma lesão interna menor, pode ser fatal porque será quase impossível parar o sangramento. Bateu apenas com a cabeça num armário ou ao entrar no carro? Pode morrer numa questão de poucas horas. Pisou um pedaço de vidro ou uma tampa de uma garrafa enquanto caminhava com os pés descalços? Perigo – pode sangrar até morrer. Para além disso, os anticoagulantes esgotam os nutrientes essenciais do corpo, diariamente. Os médicos não têm permissão para prescrever ou até mesmo para falar do resveratrol, que é um remédio natural para os coágulos sanguíneos. Pergunte ao seu médico naturopata sobre remédios naturais.

# 3. Quimioterapia

A quimioterapia deveria ser ilegal. A maioria não faz a menor ideia de que a quimioterapia apenas tem uma taxa de sucesso de 2,3 por cento e que, em média, não consegue vencer o cancro 97,7% das vezes. Para além disso, 75 por cento dos médicos e oncologistas nunca utilizariam a própria quimioterapia ou a recomendariam aos familiares com cancro. O que é que isso lhe diz? A quimioterapia imediatamente torna o sangue ácido, convidando à formação e multiplicação fora de controlo de mais células cancerígenas, mesmo que mate as existentes. A quimioterapia destrói as bactérias intestinais benéficas e degrada a imunidade humana, retirando a competência natural da pessoa de combater o cancro. A quimioterapia para o cancro é como despejar um balde cheio de pesticidas tóxicos numa piscina enquanto nada, apenas para matar alguns insetos que estão na água.

# 4. Vacina contra o rotavírus

Não há nenhuma forma de medicamento mais perigoso do que injetar combinações de vírus mortais conhecidos juntamente com bactérias geneticamente modificadas no tecido muscular humano. A vacina Rotateq, desenvolvida pelo insidioso Dr. Paul Off, contém duas cepas de um vírus mortal de porco chamado circovírus, e não há nenhuma explicação sobre o motivo pelo qual este vírus mortal, que mata milhares de porcos na China, é agora um ingrediente numa vacina para tratar a diarreia infantil. Se você não acredita que isso seja verdade, verifique o folheto informativo da vacina da Merk por si mesmo.

# 5. Benzodiazepínicos (medicamentos para a ansiedade)

Os “Benzos” são altamente perigosos e com efeitos imediatos, pois retardam o sistema nervoso central, dando-lhe a falsa impressão de que está relaxado tanto física quanto mentalmente. Isso promove directamente efeitos colaterais indesejados e, quanto maior a dose, mais intensos serão esses efeitos colaterais. Todos os benzodiazepínicos também são fisicamente viciantes. Os benzodiazepínicos mais populares incluem o Xanax, Klonopin, Valium e Ativan. Eles são a medicação mais amplamente prescrita para a ansiedade. Os efeitos colaterais imediatos incluem o aumento da ansiedade (a sério?), irritabilidade, agitação, agressão, raiva, mania, comportamento impulsivo, depressão agravada (de acordo com a FDA [Agência Reguladora dos Fármacos nos EUA]), alucinações e, claro, aumento dos pensamentos suicidas. Combinar benzo’s com antidepressivos ISRS (como o Prozac e o Zoloft) pode aumentar a toxicidade do benzo.

# 6. Medicamentos para as convulsões

Toda esta classe de fármacos para as convulsões pode causar danos no fígado muito rapidamente. Às vezes, os danos no fígado não aparecerão até semanas ou meses depois, mas isso não significa que os danos não tenham sido causados imediatamente. De que serve parar as convulsões se a medicação prejudica seu fígado? É possível viver sem o seu fígado? Não é compreensível! Pergunte a um médico naturopata sobre como o óleo de CBD [à base de cannabis] é conhecido por parar as convulsões epiléticas em cerca de 50% dos casos.

Referências:

BeWellBuzz.com

Rejuvination-Science.com

Scribd.com

RealFarmacy.com

CancerFightingStrategies.com

NaturalNewsReference.com

EDrugSearch.com

HelpGuide.org

NaturalNews.com

Books.Google.com

CDC.news

Fonte: http://www.naturalnews.com/2017-07-18-six-pharmaceutical-medicines-that-instantly-make-your-health-worse.html

Artigos Recomendados

Deixe uma resposta

Contacte-nos

Envie-nos um email e responderemos assim que possível.

Não legível? Alterar texto.

Pesquisar